«

»

nov 06

História por trás das fotos de Alfred Eisenstaedt e Robert Doisneau

Famoso beijo no Time Square e do Hotel de Ville viram ícones da fotografia

Por: Gabriele Pereira*

 

     Assim como as cenas românticas de grandes obras cinematográficas, as fotos de Alfred Eisenstaedt e Robert Doisneau deixaram suas marcas na memória do romantismo. Suas fotografias capturaram o momento exato do polêmico beijo roubado de um marinheiro sobre a enfermeira e o outro de uma forma bem mais deliberada em frente a um dos hotéis mais famosos de Paris.

O ano de 1945 não apenas marcou o fim da 2ª Guerra Mundial, mas também a vida de um casal que comemorava nas ruas a rendição do Japão sobre os Estados Unidos. Um marinheiro contente pela vitória de seu País não se contentou de tanta felicidade e roubou em pleno Time Square, Nova York, um beijo de uma enfermeira que passava por ali. Ao perceber a cena, Alfred não hesitou em fotografar e assim fez o click daquilo que tornaria uma de suas fotografias mais famosas, intitulada “The Kiss”.

Publicada na revista Life, a imagem rapidamente ganhou destaque e com ela veio à curiosidade de saber a identidade do casal. Depois de muitos anos, finalmente descobriu-se que o marujo, sobrevivente da guerra, era George Mendonsa e a enfermeira que trabalhava em um consultório dentista na época, chamava-se Greta Zimer Friedman. Os dois nem ao menos se conheciam quando ocorreu o beijo e por muito anos ficaram sem saber os nomes um do outro.

Em 2012, após 67 anos daquele dia histórico, a rede de televisão norte-americana CBS reuniu o casal novamente, no mesmo local onde se cruzaram pela primeira vez. Greta contou ao canal, que não tinha percebido a aproximação do rapaz e quando se deu conta já estava envolvida pelos braços do soldado. George estava com a namorada Rita Petry, com quem viria a se casar, quando ouviu o anúncio da rádio sobre o fim da guerra e no auge da comemoração tascou um beijo na moça com trajes de enfermeira.

Neste mesmo ano do reencontro promovido pela CBS, foi publicado o livro The Kissing Sailor, que em português recebeu o título de O Marinheiro Beijador. Além de contar sobre a foto, a obra relata a história de Mendonsa, de como ele conseguiu sobreviver às batalhas e sua paixão pelas enfermeiras que ajudaram a salvar sua vida e de outros marinheiros.

Outra fotografia que tornou-se memorável foi o Beijo do Hotel de Ville. O fotógrafo Robert Doisneau, assim como Alfred Eisenstaedt também trabalhava para a revista Life, célebre publicação com grande importância para o fotojornalismo. Na década de 1950, o francês Robert recebeu a missão de tirar fotos do romantismo parisiense. Foi então, que avistou um casal se beijando em Paris, capital da França, e pediu para que repetissem a ação para fotografá-los.

O casal eram dois atores iniciantes e repetiu o beijo em três lugares diferentes. A imagem de Françoise Delbart e Jacques Carteaud em frente ao Hotel de Ville foi publicada pela Life, enaltecendo o romantismo francês.

Após 30 anos, a fotografia foi vendida para uma empresa de cartazes, que fez da imagem um dos pôsteres mais vendidos do mundo. Em 2005, Françoise leiloou a impressão original autografada por Robert Doisneau, que a presenteou dias depois do registro fotográfico. A imagem lhe rendeu cerca de 200 mil dólares.

Os fotógrafos responsáveis pelas duas icônicas fotografias seguiram com suas carreiras até o final de suas vidas. Doisneau, que dizia fotografar a vida como queria que fosse e não como ela é, faleceu em 1994, aos 81 anos. Já Alfred Eisenstaedt partiu em 1995, deixando um enorme acervo fotográfico, em grande parte de renomadas personalidades mundiais.

 * Estudante de Jornalismo na Faculdade Pinheiro Guimarães. Gabriele Pereira é estagiária na equipe de Imprensa  do Curso Grande Angular, escrevendo artigos e fazendo entrevistas para o site do Curso